O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, disse nesta sexta-feira que o motivo do adiamento do leilão A-3 foi a falta de demanda. “Como a gente não tem demanda e está na expectativa de que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) decida sobre as usinas da Bertin, achamos prudente adiar”, disse Tolmasquim, após participar da posse dos novos diretores do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

O leilão A-3 estava previsto, inicialmente, para 28 de junho, mas foi transferido para 11 de outubro. Segundo o ministro interino de Minas e Energia, Márcio Zimmerman, o governo foi procurado por “agentes”, entre os quais geradores, pedindo mais tempo para a disputa. “Recebemos um pedido de agentes solicitando mais um prazo para que fizéssemos o leilão”, contou.