O advogado da Fazenda Cachoeira, Ricardo Jorge Rocha Pereira, recebeu no final da tarde de sexta-feira (10), a intimação de que o juiz da 3.ª Vara da Justiça Federal de Londrina, Cleber Otero, autorizou o início da necropsia de alguns dos animais sorologicamente reagentes existentes na propriedade.

Segundo Pereira, o juiz decidiu pelo início dos trabalhos na fazenda com base na existência da Comissão de Necropsia, já formada entre as partes envolvidas, e considerando a participação do representante do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa) na coleta de material dos animais, que deverá ser envidado ao laboratório do Panaftosa no Rio de Janeiro.

O advogado ressaltou que o começo dos trabalhos depende apenas da presença do representante do Panaftosa e do assistente do Ministério da Agricultura. ?Por parte dos produtores e da Secretaria da Agricultura, está tudo pronto para dar início à necropsia dos animais da Fazenda Cachoeira?, disse.

Localizada no município de São Sebastião da Amoreira, a Fazenda Cachoeira é uma das sete propriedades existentes no Paraná consideradas como foco de febre aftosa pelo Ministério da Agricultura. Nos próximos dias, cerca de 1.800 animais deverão ser sacrificados no local.