O líder do governo no Senado, Romero Jucá considera que a Medida Provisória (MP) 777, que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP) para os empréstimos do BNDES, deve ser votada pela Câmara na próxima terça-feira, 22, e encaminhada ao Senado no mesmo dia.

“Vamos dar conhecimento amanhã (quarta-feira, 16), dar vista (mais tempo para análise) até terça-feira, 22, na terça de manhã vamos votar e na terça à tarde a Câmara já vota e envia para o Senado.”

Jucá disse que o governo não vai deixar a medida provisória caducar, porque considera a TLP “um mecanismo importante”. “Temos que equalizar a questão do juros, não adianta alguns terem incentivo e grande parte da população ser onerada pelos juros altos, portanto nós queremos juros baixos para todos, e a TLP é o caminho para isso”, declarou Jucá à imprensa.

Mais cedo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu que o governo apresente um projeto de lei da TLP como forma de evitar que a oposição obstrua a votação da MP 777 no Congresso Nacional nas próximas semanas.

Maia disse que o senador e “amigo” Lindbergh Farias (PT-RJ), que preside os trabalhos na comissão que analisa o tema, está descumprindo o calendário de votação combinado com os membros do colegiado. Isso porque Lindbergh já adiou, por duas vezes, a leitura do parecer do deputado Betinho Gomes (PSDB-PE), favorável à aprovação da medida.