O presidente do Grupo Gerdau, Jorge Gerdau, defendeu a inclusão na proposta de reforma tributária a fixação de um teto para a carga tributária do País. Com esse limite, o governo teria que acelerar as desonerações tributárias para impedir o aumento da carga.

"Nós entendemos que a reforma tributária tem que incluir essa previsão de não aumento da carga", disse o empresário, que há anos participa do movimento empresarial em defesa da reforma tributária. Segundo ele, a fixação do teto se refletiria na necessidade do governo cortar gastos.

Gerdau, que é do ramo aço, chegou ao Ministério da Fazenda para uma reunião com o ministro Guido Mantega e um grupo de empresários. A reunião foi organizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na chegada, ele se manifestou confiante na possibilidade de ser bem-sucedida a proposta de reforma tributária que o governo federal vai enviar ao Congresso Nacional.

"A proposta elaborada pelo Ministério da Fazenda, com o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) federal e estadual, tem chances de ter boa oportunidade", avaliou o empresário.