A balança comercial do Japão sofreu o seu primeiro déficit anual em quase três décadas no ano fiscal 2008, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, ressaltando as dificuldades enfrentadas pelo país para sair da recessão.

O Ministério das Finanças japonês disse que as exportações caíram 16,4%, para um recorde de 71,14 trilhões de ienes (US$ 723,8 bilhões), durante o ano fiscal terminado em março. As importações recuaram 4,1%, para 71,87 trilhões de ienes (US$ 731,2 bilhões) no período. A queda acentuada das exportações deixou a balança comercial com um déficit anual de 725,3 bilhões de ienes (US$ 7,38 bilhões) – o primeiro desde 1980-, quando o país registrou um déficit anual de 1,42 trilhão.

O ministro das Finanças e da Economia japonês, Kaoru Yosano, disse que “o governo tem que analisar se a competitividade internacional do Japão está enfraquecendo na área de produção de bens.”

Apesar de as exportações do país terem caído em todas as grandes regiões, uma queda 27,2% dos embarques para os EUA foi particularmente proeminente. A principal causa do declínio das exportações para o maior parceiro comercial do Japão foi o recuo de 36,6% nos embarques de veículos. A demanda externa por automóveis, eletrônicos e outros bens de alta tecnologia japoneses diminuiu e o Produto Interno Bruto (PIB) do país caiu 12,1% no período setembro-dezembro, em bases anuais.

Segundo economistas, os novos dados comerciais sugerem uma retração ainda maior do PIB no primeiro trimestre do ano. Embora os dados mostrem que as exportações caíram mais moderadamente em março – queda de 45,6% em comparação com a baixa recorde de 49,4% em fevereiro, em bases anuais -, as baixas mensais ainda são assustadoramente grandes. As informações são da Dow Jones.