A Itália será, a partir desta segunda-feira, o primeiro país a introduzir um imposto sobre negociações em alta frequência, segundo informações da edição online do Financial Times deste domingo.

O país vai taxar operações de alta frequência e derivativos de ações como parte da segunda e última etapa de um processo estabelecido este ano para taxar transações relacionadas a ações.

Os bancos e corretoras do país, que buscam mais detalhes sobre o novo imposto, alertaram que ele pode prejudicar ainda mais a liquidez do mercado italiano. Os volumes de negociação já caíram fortemente desde março, quando um imposto sobre ações foi introduzido.

As autoridades da Europa vêm considerando taxar transações financeiras como uma forma de estabilizar os mercados, evitar negociações especulativas e de alta frequência e cobrir déficits nos orçamentos dos governos.