O laboratório central do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná – Ipem-PR, em Curitiba, divulgou os últimos resultados de um trabalho de coleta de produtos ligados à Semana Santa, realizado em todo o Paraná, encerrando assim todas as análises sobre produtos coletados durante a Operação Páscoa 2007. As equipes de técnicos do Instituto passaram as últimas três semanas desenvolvendo atividades de coleta e análise de 685 itens (num total de 3.425 unidades examinadas), cuja verificação deu-se no próprio local de revenda. Mas outras 1.161 unidades, correspondentes a 124 produtos, tiveram de ser encaminhadas ao laboratório, para uma análise mais acurada.

De todo o universo verificado nas últimas semanas em cerca de 130 estabelecimentos comerciais, foram autuados 22 produtos por terem sido constatadas irregularidades quantitativas, enquanto outros 4 receberam autuações por irregularidades na indicação quantitativa, como altura inadequada dos caracteres ou erro na grafia da simbologia legal. Todos esses produtos foram autuados por irregularidade quantitativa ou por falta de indicação quantitativa e têm, segundo a lei federal 9933/99, um prazo de quinze dias úteis para apresentar a defesa e aguardar julgamento que pode levar à sanção que vai desde advertência até o valor máximo de R$ 1,5 milhão.

O número maior de reprovações deu-se nos pescados congelados, sendo as demais decorrentes em sua maioria dos produtos embalados pelos estabelecimentos revendedores no chamado ?auto-serviço?, ou seja, que o próprio local acondiciona e muitas vezes não desconta corretamente o peso da embalagem (tara), principalmente o bacalhau – explica Sérgio Camargo, gerente de pré-medidos do Ipem.