Analistas do mercado financeiro reduziram, pela segunda semana seguida, a previsão de alta do IPCA em 2012, de 5,21% para 5,17%, segundo a pesquisa Focus divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central (BC). Com a diminuição, o número esperado pelos analistas se aproxima do previsto há um mês, quando o mercado trabalhava com 5,12% de alta. Para 2013, a mediana das expectativas para o IPCA manteve-se idêntica à vista uma semana antes, em 5,60%. Há um mês, a expectativa de inflação estava em 5,53%.

No regime de metas de inflação, o BC deve trabalhar para entregar um IPCA de 4,50%, com um intervalo de tolerância de 2 pontos porcentuais para cima ou para baixo. Ou seja, inflação entre 2,5% e 6,5% no ano.

A projeção suavizada para o IPCA nos próximos 12 meses foi em sentido contrário à previsão para 2012 e subiu ligeiramente, de 5,51% para 5,52%, ante 5,53% de quatro semanas atrás.

No grupo das instituições que mais acertam as projeções na pesquisa Focus, o chamado Top 5, a projeção para o IPCA em 2012 no cenário de médio prazo foi diminuída de 5,22% para 5,18%. Para 2013, o grupo segue com expectativa de alta de 5,80%. Em ambos os casos, a atual previsão é maior que a vista há um mês, quando os economistas ouvidos apostavam em um IPCA de 4,99% em 2012 e de 5,40% em 2013.

Entre todos os analistas ouvidos pelo BC, a mediana das estimativas para o IPCA em maio de 2012 caiu ligeiramente, de 0,48% para 0,47%, retornando ao patamar estimado há quatro semanas. Para junho, a expectativa do mercado para a alta da inflação oficial caiu de 0,28% para 0,25%, ante 0,28% previsto quatro semanas antes.