O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), registrou alta de 0,96% na segunda quadrissemana de outubro, depois de ter subido 0,76% na primeira prévia. O indicador que mede a inflação da cidade de São Paulo ficou acima do teto das estimativas do AE Projeções, que iam de 0,75% a 0,94%, com mediana de 0,85%. O IPC acelerou também em relação à segunda quadrissemana de setembro, quando ficou em 0,21%.

Na comparação entre a primeira e a segunda quadrissemana de outubro, todos os sete grupos pesquisados registraram aceleração da alta de preços: Habitação (de 0,40% para 0,44%), Alimentação (de 2,24% para 2,79%), Transportes (de 0,24% para 0,51%), Despesas Pessoais (0,44% para 0,46%), Saúde (de 0,19% para 0,30%), Vestuário (de 0,31% para 0,42%) e Educação (de 0,06% para 0,07%).

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC:

Habitação: 0,44%

Alimentação: 2,79%

Transportes: 0,51%

Despesas Pessoais: 0,46%

Saúde: 0,30%

Vestuário: 0,42%

Educação: 0,07%

Índice Geral: 0,96%