Os investimentos estrangeiros diretos no País somaram US$ 381 milhões, em abril, ficando abaixo da expectativa do Banco Central, que era de ingressos da ordem de US$ 500 milhões no período. Em abril do ano passado, a soma de investimentos foi de US$ 796 milhões. O resultado do mês passado é o mais baixo registrado desde outubro de 2003, quando os ingressos totalizaram US$ 314 milhões.

No acumulado do ano, até abril, os investimentos somam U$ 3,1 bilhões. No mesmo período do ano passado, os investimentos estrangeiros totalizavam US$ 2,773 bilhões. A previsão do Banco Central é de que no ano os investimentos somem US$ 13 bilhões.

No fluxo de 12 meses, terminados em abril, os investimentos estrangeiros totalizam US$ 10,470 bilhões, o que representa 2,04% do PIB (Produto Interno Bruto) do período. Os dados foram divulgados ontem pelo Banco Central.

Recuperação

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, estimou ontem que os investimentos estrangeiros diretos somarão US$ 600 milhões em maio. Segundo ele, até agora os ingressos do mês já totalizam US$ 450 milhões.

Lopes disse que o fluxo de investimentos do mês de abril, quando os ingressos somaram US$ 381 milhões, e do mês de maio, reflete uma parada dos investidores por “força de realocação de portfólio”.

No entanto, segundo o técnico do BC, a expectativa é de que haja uma retomada dos fluxos de forma consistente, o que deve garantir a soma de US$ 13 bilhões no ano. “Verificamos uma retomada e a expectativa é de elevação”, disse Lopes.

Transações correntes

A conta de transações correntes, que engloba as principais transações do País com o exterior, registrou em abril um déficit de US$ 735 milhões. Esse foi o primeiro déficit da conta corrente neste ano. Com isso, em 2004, o saldo acumulado das transações correntes é um superávit de US$ 948 milhões.

O déficit do mês de abril foi resultado de um superávit da balança comercial de US$ 1,957 bilhão, menos um déficit de US$ 2,952 bilhões da conta de serviços e rendas, mais o ingresso de US$ 259 milhões de recursos em transferências unilaterais.

No acumulado em 12 meses, terminados em abril, o saldo das transações correntes é positivo em US$ 5,842 bilhões, o equivalente a 1,14% do PIB (Produto Interno Bruto).

No mês, o balanço de pagamentos, que engloba além das transações correntes a conta capital e financeira, ficou deficitário em US$ 167 milhões. No acumulado do ano, o balanço de pagamentos está com um superávit de US$ 2,459 bilhões.