Em maio, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), apresentou recuo de 2,2% (127,7 pontos) na comparação com abril e queda de 6,2% em relação a maio de 2012, de acordo com apuração da Confederação Nacional do Comércio (CNC). O índice está situado no menor nível da série, iniciada em janeiro de 2010.

De acordo com avaliação dos técnicos da CNC, o comprometimento da renda das famílias é alimentado não só pelo nível ainda elevado de endividamento e inadimplência, mas também pela persistência inflacionária ocorrida nos primeiros meses do ano. Este fator e o maior custo de aquisição de crédito influenciaram negativamente o resultado da ICF no mês.

“O menor otimismo quanto ao mercado de trabalho também vem se refletindo sobre o índice, fato ocorrido novamente no período atual”, diz o relatório da CNC. Apesar do resultado, os índices mantêm-se acima da zona de indiferença (100,0 pontos), indicando um nível favorável de consumo. A Pesquisa Nacional de Intenção de Consumo das Famílias é um indicador antecedente que tem como objetivo antecipar o potencial das vendas do comércio.