Depois de passar por uma alta de 0,38% em outubro, que foi a maior entre as cidades pesquisadas, Curitiba registrou, em novembro, nova alta, de 0,47%, no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), divulgado ontem.

O índice desse mês, porém, é o quinto entre as 11 capitais pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e está apenas 0,03 ponto percentual acima da média nacional, de 0,44%. Alimentos, como o tomate e a cebola, e combustíveis, como o etanol, estiveram entre os principais responsáveis pela alta.

No acumulado do ano, o índice é de 4,15% em Curitiba, e 3,79% no Brasil, taxa inferior à meta de inflação para o ano, de 4,5%. O IPCA-15 é considerado uma prévia do IPCA, índice que é considerado a inflação oficial.

Para a última medição, o IBGE coletou preços no período de 14 de outubro a 13 de novembro, e os comparou com os coletados entre 15 de setembro e 13 de outubro.

Nos grupo dos combustíveis, a alta registrada foi de 3%, a maior entre as capitais pesquisadas, nas quais a média ficou em 1,91%. Enquanto a gasolina aumentou 2,24%, o etanol ficou 12,71% mais caro no período pesquisado, em Curitiba.

De janeiro a novembro deste ano, a alta é de 3,17% para a gasolina e 8,99% para o etanol. Já nos últimos 12 meses, a gasolina aumentou 2,90%, enquanto o etanol subiu 9,69%.

Em relação ao etanol, os aumentos na capital paranaense são menores que as médias nacionais, que ficaram em 11,57% no ano e 11,25% nos 12 meses. Já a gasolina subiu mais em Curitiba do que na média das capitais, que fechou em 1,67% em 2009 e 1,55% no período de 12 meses. Para o IBGE, a alta na gasolina decorreu do impacto do aumento do preço do litro do álcool.

Outro item que subiu mais em Curitiba do que nas outras capitais foram as passagens aéreas. O aumento foi de 23,75%, contra uma média nacional de 18,03%. No ano e nos últimos 12 meses, o produto ainda acumula baixa, de 4,06% em ambas as medições.

Alimentos

Aumentos significativos também foram registrados, em Curitiba, em alimentos como o tomate (18,13%) e a cebola (34,90%). O primeiro item, porém, aumentou menos que a média nacional (26,99%), enquanto o segundo teve um aumento superior ao registrado nas capitais pesquisadas (19,05%).

Em Curitiba, o tomate já subiu 31,86% no ano e 64,34% nos últimos 12 meses. As médias das capitais estão em 12,37% e 63,95%, respectivamente. Já a cebola teve alta de 52,45% em 2009 e 51,25% em 12 meses, em Curitiba. Nas capitais, as médias ficaram em 67,08% e 68,47%.

A exemplo do que vem acontecendo nos últimos meses, o leite pasteurizado teve nova queda nos preços, ficando 7,93% mais barato em Curitiba e baixando 6,58% na média das capitais.

No acumulado do ano, no entanto, o produto ainda registra alta, de 2,92% (3,74% no País). Nos últimos 12 meses, a alta é ainda maior: 5,70% em Curitiba e 6,01% na média das capitais.