A produção industrial no Paraná está mais fraca, conforme divulgou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A analise, feita no mês de maio, apontou um decréscimo de -4,1% frente ao mês anterior, quando o instituto acusou um resultado, também negativo, de -0,1%.

Segundo a pesquisa, as áreas industriais que contribuíram para o resultado negativo foram as de veículos automotores (-25,4%), máquinas e equipamentos (-28,2%), celulose e papel (-17,4%) e edição e impressão (-9,0%). Já os pontos positivos vieram dos minerais não metálicos (6,0%) e refino de petróleo e produção de álcool (1,6%).

De acordo com o analista do IBGE/PR Alceu Paganotto, por se tratar do meio do ano, ainda não é possível avaliar quais serão as consequências desse resultado para a economia do Estado.

“O Brasil todo teve uma recuperação muito pequena na produção industrial. Essa não é uma projeção favorável, mas temos que esperar as próximas análises para saber como o setor irá se comportar no segundo semestre aqui no Paraná”, diz.

Em relação a maio de 2008, houve recuo de 11,94% no Estado, segundo mês consecutivo de taxas negativas nesse confronto. Foi a maior queda desde janeiro de 2000 (-13,2%). No acumulado do ano, em relação a 2008, a atividade industrial aumentou o ritmo de queda, de -1,38% em abril para -3,69% em maio.

O acumulado nos últimos 12 meses ficou em 2,5%. Mesmo apresentando resultados positivos, ficou 2,3 pontos percentuais abaixo do resultado de abril: 4,8%.

Em comparação com o mês de maio de 2008, a diminuição no ritmo da produção industrial entre abril e maio atingiu 11 das 14 atividades analisadas pelo IBGE no Estado.

País

Das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE, a produção industrial brasileira cresceu em oito no período entre maio e abril. A pesquisa de indústria regional divulgada ontem mostra que os maiores crescimentos em maio, frente ao mês anterior, ocorreram no Amazonas (11,7%) e na Bahia (7,5%).

Foram registradas taxas positivas também em São Paulo (2,4%), região Nordeste (1,8%), Minas Gerais (1,4%), Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro (todos com 0,6%).

O Estado de Pernambuco registrou variação zero. Além do Paraná, as regiões que também apresentaram recuo na produção industrial em maio frente abril foram: Espírito Santo (-0,6%), Goiás (-1,2%), Ceará (-4 3%) e Pará (-5,6%).