A indústria do Paraná foi o destaque positivo entre os 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na passagem de novembro para dezembro de 2011, com crescimento de 6,5%. O resultado foi puxado pelo desempenho da produção de veículos automotores, em especial caminhões, e alimentos como soja e carnes, além de itens da linha branca como refrigeradores.

O Rio Grande do Sul veio em seguida, com alta de 2,3% na produção. O desempenho industrial gaúcho foi impulsionado pela produção de máquinas e equipamentos, como tratores agrícolas, colheitadeiras e silos para armazenamento.

Em dezembro, São Paulo apresentou crescimento de 0,3% frente a novembro, abaixo da média de 0,9% da indústria na comparação mensal. Foi o segundo crescimento seguido da indústria paulista, que acumulou perdas de 7,7% nos meses de setembro e outubro, por conta de férias coletivas na indústria automobilística. Por ter maior peso, a indústria de São Paulo exerceu a terceira maior contribuição positiva para o resultado da indústria geral.

“Por ter uma indústria mais diversificada, São Paulo acaba acompanhando o movimento do País. A indústria nacional teve uma recuperação nos últimos dois meses de 2011, mas no ano teve um comportamento moderado”, disse o gerente da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) do IBGE, André Macedo.