O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil caiu 2,0% em março, para 90,4 pontos, divulgaram nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e o Conference Board. O resultado veio após a retrações de 1,4% em fevereiro e de 1,7% em janeiro.

Segundo Ataman Ozyildirim, economista do The Conference Board, “a taxa de crescimento de seis meses do IACE foi empurrada ainda mais para o território desfavorável e registra enfraquecimento generalizado de seus componentes”.

Já o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE), que mede as condições econômicas atuais, subiu 0,3% em março, atingindo a marca de 104,7 pontos. O resultado veio depois de uma queda de 0,4% em fevereiro e de uma alta 0,1% em janeiro. Cinco dos seis componentes contribuíram positivamente para o índice em março.