O superintendente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Marcel Solimeo, aposta no recuo da taxa de inadimplência até o final de 2012. Ele citou dois argumentos para justificar essa expectativa positiva. O primeiro é de que as novas concessões de crédito foram feitas com base em critérios mais rigorosos de avaliação do que financiamentos anteriores. O segundo é a continuidade de expansão do mercado de trabalho e da renda dos brasileiros.

“O mercado de trabalho é favorável e isso é importante porque temos levantamentos que mostram que a maior causa de inadimplência é a perda de emprego”, disse Solimeo, durante o debate “Os limites de endividamento do consumidor brasileiro. Como evitar o aumento da inadimplência?”, promovido pelo Congresso Consumidor Moderno de Crédito, Cobrança e Meios de Pagamento, na FecomercioSP, nesta quarta-feira.

Segundo Solimeo, a ACSP está com uma expectativa “relativamente positiva” sobre o bom desempenho da economia até o final do ano. E, a partir dessa expectativa positiva, ele avalia que a concessão de crédito deverá crescer a taxas elevadas. “Não será a taxas de 18% e 22% como vimos em 2010 e 2011, mas o crédito vai crescer bem”, disse. O grande desafio, segundo Solimeo, é educar o consumidor para o uso consciente desse crédito.