A inflação de abril, medida pelo IGP-DI (Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna), atingiu 1,15%, segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas). Foi a maior taxa desde março do ano passado, quando a taxa registrara 1,66%. Em março deste ano, o índice havia subido 0,93%.

Os preços industriais no atacado foram os responsáveis pela aceleração do IGP-DI. Devido ao aumento da cotação de commodities no mercado internacional, como aço, petróleo e grãos, os preços desses e de seus derivados no Brasil subiram.

A inflação da indústria passou de 0,94% para 1,86%. Com isso, o IPA (Índice de Preços por Atacado) acelerou de 1,09% para 1,57% entre março e abril.

Já os preços no varejo, medidos pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor), subiram 0,31% em abril depois de uma alta de 0,46% no mês anterior.

O INCC (Índice Nacional do Custo da Construção) desacelerou para 0,59% após subir 1,16% em março. No ano, o IGP-DI acumula 4,02%. Nos últimos 12 meses, a taxa alcança 5,71%.

O IGP-DI é formado pelo IPA, IPC e INCC, cujos pesos são de 60%, 30% e 10%, respectivamente.