A taxa de investimento no primeiro trimestre de 2009, de 16,6%, é a menor para primeiros trimestres desde o primeiro trimestre de 2005, quando foi de 15,9%, informou o IBGE. A taxa de investimento é a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) em relação ao Produto Interno Bruto (PIB).

A taxa de poupança do primeiro trimestre deste ano, que foi de 11,1%, é a menor para primeiros trimestre desde o início da série em 2000. A taxa de poupança, que é a poupança bruta em relação ao PIB, depende do consumo. “O consumo cresceu em proporção maior que o PIB e, assim, a taxa de poupança cai”, disse Cláudia Dionísio, técnica de Contas Nacionais do IBGE.

O primeiro trimestre deste ano foi o mais afetado pela crise econômica e foi o primeiro com queda no PIB desde o quarto trimestre de 2001, disse a gerente de contas nacionais trimestrais do IBGE, Rebeca Palis. No primeiro trimestre de 2009, o PIB caiu 0,8% em relação ao quarto trimestre de 2008, quando os efeitos da crise começaram a ser sentidos, e houve queda de 1,8% na comparação de trimestre contra igual trimestre do ano anterior.

“Se é o fundo do poço, eu não sei. Mas a gente teve uma queda no PIB, o que não ocorria desde o quarto trimestre de 2001, e você olha pelo nível de produção que o Brasil voltou ao nível do segundo trimestre de 2007”, disse Rebeca. A queda em relação ao trimestre imediatamente anterior foi menor que a observada no quarto trimestre, de 3,6%. Rebeca observou, porém, que no terceiro trimestre a economia vinha com forte crescimento.