Os setores de metalurgia, veículos e alimentos impediram um avanço ainda mais intenso do Índice de Preços ao Produtor (IPP) em junho. Os três setores representam quase 40% do índice. O IPP avançou 0,31% no mês passado. “No caso da metalurgia, há uma grande oferta de aço. O mercado siderúrgico tenta passar para setor automobilístico produto que antes era para exportação, e o resultado é queda de preços”, explicou o técnico do IBGE.

Com isso, a metalurgia registrou queda de 3,56% nos preços no mês passado, o principal impacto negativo. Já os veículos ficaram 0,25% mais baratos, enquanto os alimentos avançaram 0,15%, abaixo da média geral.

Em junho, houve ainda pressão negativa de vestuário (-2,73%), diante das liquidações que antecedem a entrada de uma nova coleção, e de equipamentos de informática e produtos eletrônicos e ópticos (-2,67%), em função da constante substituição de tecnologia.