A massa de salários em circulação na economia cresceu R$ 6,754 bilhões no período de um ano, graças ao aumento no número de pessoas trabalhando. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o trimestre encerrado em outubro do ano passado, a massa de renda real aumentou 1,1% no trimestre terminado em janeiro deste ano, R$ 2,054 bilhões a mais. “O aumento da população ocupada resulta nesse aumento da massa de salários”, explicou Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Em um ano, houve criação de 1,848 milhão de postos de trabalho. A massa de renda alcançou R$ 193,827 bilhões. A renda média também ficou maior, com alta de 1,6%, para R$ 2.169.

Em relação ao trimestre terminado em outubro, houve aumento de 0,9% no rendimento médio, movimento considerado pelo IBGE não significativo estatisticamente.