O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) já tem um deflator para a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), o que permitirá que o órgão divulgue o crescimento real do setor já a partir do ano que vem. “O deflator está pronto, já está no sistema, já está calculado. O que faremos agora é uma análise de toda a série, desde o início da pesquisa. Os dados começaram em janeiro de 2011, mas o primeiro indicador foi de janeiro de 2012”, contou Roberto Saldanha, técnico da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE. “A expectativa é a gente já começar no primeiro mês de 2015, já iniciar a série deflacionada”, acrescentou.

Atualmente, o instituto informa apenas a receita bruta nominal dos serviços. O instituto espera divulgar os resultados deflacionados a partir de março de 2015 porque serão referentes a janeiro do mesmo ano. Na mesma divulgação seria liberada a série histórica, iniciada em janeiro de 2012, também ajustada pelo deflator.

“A expectativa é março de 2015, mas ainda não há data confirmada. Assim que sair, vai ser retroativa a 2012”, ponderou Juliana Vasconcellos, gerente na mesma Coordenação do IBGE.

IPCA

A PMS produz resultados desagregados por atividades, que terão deflatores diferentes, todos com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Para cada atividade serão usados os subitens do IPCA correspondentes. “Para quem não tiver subitem relacionado, vamos pegar o IPCA de serviços, mas não o cheio, também terá ajustes de acordo com o ramo de atividade”, explicou Saldanha.

A PMS começou a ser divulgada em agosto do ano passado. Ainda não há divulgação de dados com ajuste sazonal (mês contra mês imediatamente anterior), porque, segundo o IBGE, a dessazonalização requer a existência de uma série histórica de aproximadamente quatro anos.