A Grécia fez progressos, mas alguns problemas ainda devem ser resolvidos antes que o país possa sair do programa de resgate internacional que está em andamento desde 2010, afirmou a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI), grupo conhecido como troica, nesta quinta-feira.

“Bons progressos foram feitos, mas algumas questões continuam pendentes”, disse o grupo em um comunicado. “As equipes de oficiais da Comissão Europeia, do BCE e do FMI esperam voltar a Atenas no início de dezembro.”

As conversas continuarão em seus respectivos escritórios, pois acabaram de voltar da Grécia após “discussões produtivas” com as autoridades do país sobre as políticas que poderiam servir de base para a conclusão da revisão em curso do programa econômico grego.

Os oficiais da troica retornaram a Atenas neste mês pela primeira vez desde o final de setembro, para verificar o progresso no país. A Grécia teve dois resgates internacionais no valor de 240 bilhões de euros desde meados de 2010, em troca de compromissos para melhorar suas finanças e reestruturar a sua economia, mas o processo tem sido complicado.

Sob o último acordo de resgate, a Grécia deve alcançar um superávit orçamentário primário – o superávit antes de contar o pagamento de juros sobre a dívida – equivalente a 1,5% do Produto Interno Bruto em 2014. Além disso, este superávit deve aumentar nos anos subsequentes.

Fonte: Dow Jones Newswires.