Na lista das maiores influências negativas no Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), medido para composição do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), de abril, aparecem grãos e aves. Neste mês, o IPA-M registrou queda de 0,12% ante avanço de 0,01% em março, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

As maiores pressões de baixa vieram da soja em grão (de -4,78% para -5,49%), do milho em grão (de -3,36% para -10,21%), de aves (de -1,18% para -8,84%), do farelo de soja (de -12,32% para -7,82%) e da cana-de-açúcar (de 0,29% para -1,40%). Milho, aves e cana de açúcar foram os responsáveis também pela queda do índice de Matérias-Primas Brutas, que variou -1,20% em abril ante -0,78% em março.

Já entre as maiores influências positivas no IPA aparecem, nesta ordem: minério de ferro (de 5,88% para 8,33%), tomate (de 4,35% para 18,72%), leite in natura (de 1,78% para 3,36%), batata-inglesa (de 6,80% para 14,19%) e banana (de 7,57% para 11,53%).

No IPA, o índice relativo a Bens Finais variou 0,86% ante 1,00% em março. O subgrupo alimentos in natura contribuiu para a desaceleração, ao sair de taxa de variação de 7,89% para 6,19%. O índice de Bens Finais (ex), que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, avançou 0,14% em abril contra 0,06% em março.

Já Bens Intermediários diminuiu a queda de 0,28% em março para 0,19% em abril. Materiais e componentes para a manufatura (de -1,14% para -0,78%) foi o subgrupo responsável pela aceleração. Com a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, o índice Bens Intermediários (ex) registrou queda de 0,38% em abril ante queda de 0,65% em março.