Agência Brasil
Agência Brasil

Luiz Marinho: "Vamos reajustar a
tabela. É nosso compromisso".

O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, afirmou que se empenha para que uma minirreforma sindical ocorra até o primeiro quadrimestre do ano que vem. Ele reconheceu que a crise política dificulta a tramitação da proposta no Congresso e afirmou que tem buscado conciliar empresários e sindicalistas em relação a questões polêmicas como forma de adiantar os trabalhos.

?Não queremos terminar o governo Lula sem ter feito nada?, afirmou ele durante palestra a empresários em São Paulo. ?É evidente que a crise política afeta os trabalhos do Congresso Nacional.? A proposta que trata da reforma sindical foi enviada em março deste ano ao Congresso.

Marinho fez um apelo a empresários para ajudarem na aprovação das reformas sindical e trabalhista. Em março, a bancada da indústria no Congresso ameaçou barrar a reforma sindical em reação à demora do governo para enviar ao Congresso uma proposta de reforma trabalhista, que deve flexibilizar a legislação do trabalho.

?É preciso sair dessa situação de quem vai primeiro (a reforma sindical ou a trabalhista). Nós precisamos, com base na boa-fé e da constatação de realizar as duas, realizar as duas, independentemente se elas sairão exatamente juntas ou em tempos diferentes??, afirmou.

Marinho defendeu a posição de sindicalistas de que a reforma sindical deve ter prioridade em relação à reforma sindical.

?É evidente que a reforma sindical tem prevalência na medida em que pode estimular o fortalecimento da negociação, que é o principal pilar para se realizar uma reforma trabalhista ou não?, afirmou.

Tabela

?Claro que vai reajustar. É compromisso de governo e nós o faremos. Nós vamos consolidar essa negociação durante o mês de novembro, certamente, na segunda quinzena. O mais tardar, nos primeiros dez dias de dezembro nós consolidaremos essa negociação?. O compromisso foi assumido pelo ministro Marinho, ao falar sobre a tabela do Imposto de Renda.

Segundo o ministro, além de reajustar a tabela do Imposto de Renda, as negociações deverão também definir o valor do salário mínimo para o próximo ano.