O diretor de pesquisa econômica da GO Associados, Fábio Silveira, afirmou nesta segunda-feira, 15, que a queda de 0,26% no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) em outubro ante setembro, com ajuste sazonal, “mostra que seguimos rumo ao crescimento nulo da economia em 2014”. Segundo ele, a projeção de crescimento de 0% no Produto Interno Bruto (PIB) da consultoria para este ano segue mantida e foi reforçada pelo desempenho negativo do IBC-Br de outubro.

Para Silveira, a economia brasileira deve seguir estagnada durante o primeiro semestre de 2015, até uma melhora no segundo semestre puxada principalmente pela recuperação nas exportações. “As coisas vão ficar estagnadas por um bom tempo, com uma série de obstáculos para o mercado doméstico, como o juro elevado, a perda de dinamismo no varejo e as exportações ainda sem reação, mesmo com a melhora do câmbio”, disse.

Com o dólar em torno de R$ 2,80, as exportações na segunda metade de 2015 devem melhorar, segundo Silveira, principalmente pelo dinamismo de setores de maior valor agregado da indústria, como o da siderurgia. “Já o agronegócio, apesar da melhora cambial, deve seguir ‘de lado’, por causa da queda de preços das commodities”, concluiu.