Com um nome que foge dos padrões atuais de telefones no Brasil – as “telecom” -os Grupos Telefónica Móviles (espanhol) e Portugal Telecom (português) anunciaram ontem, na Pinacoteca em São Paulo, o surgimento da “Vivo”, a joint-venture que vai englobar as operadoras de cobertura regionais Telesp Celular, Tele Sudeste, Global Telecom, CRT Celular e Tele Leste Celular, que juntas somam 17 milhões de clientes. Esse número eqüivale a 10% da população brasileira e 48% do mercado de telefonia celular no Brasil, e torna a “Vivo” a maior operadora de celular da América Latina.

Desde 1998 no Brasil, os dois grupos já investiram US$ 23 bilhões – sendo que só nessa fase de transição da marca serão investidos R$ 40 milhões, que incluem a mudança do layout dos 6.600 pontos de venda, mega shows e festas, até comerciais ao vivo na televisão. A “Vivo” será a única marca em 19 Estados – Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grossa, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Roraima, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Distrito Federal -, sendo que para isso aguarda a aprovação da Anatel para a incorporação das operadoras NBT e TCO.

A “Vivo” vai cobrir 86% do território nacional, uma área de sete milhões de quilômetros quadrados e atingir uma população que representa 83% do PIB brasileiro e 73% da população total do Brasil. A receita operacional de todas as operadoras que integram a “Vivo” foi da ordem de R$ 9 bilhões, sendo que os dois grupos, espanhol e português, terão 50% cada um das participações da nova empresa. Todas essas mudanças não irão alterar o meio pelo qual os consumidores acessam todos os serviços oferecidos pelas operadoras regionais, assim como não haverão mudanças de números e aparelhos.

A tecnologia CDMA (Code Division Multiple Access / ou acesso múltiplo por divisão de código) continuará sendo a tecnologia empregada pela “Vivo”, pois as empresas envolvidas entendem que ela é a mais usada hoje a nível mundial, alcançando 150 milhões de usuários. Além disso, apresenta a melhor performance entre as disponíveis para a transmissão de dados via celular, e permite oferecer diversos produtos e serviços de terceira geração. Um dos exemplos é o sistema CDMA 1XRTT , que permite a transmissão de dados com velocidade de até 144 kbps por segundo e já está operando em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Vitória.

13 de abril

Todo o processo para a criação da “Vivo” começou a ser estudada há três anos, e será lançada nacionalmente no dia 13 de abril, próximo domingo, sendo que a estratégia de campanha foi produzida pela agência Africa. O presidente executivo da “Vivo”, Francisco Padinha afirmou que a concepção da nova marca tomou por base ações que já foram desenvolvidos nos Estados Unidos, onde se adotam nomes que tenham ligação com o dia-a-dia das pessoas. “Vivo é viver maravilhoso. Celular faz parte da vidas das pessoas, assim como a tecnologia”, disse. Embora não tenha detalhado, Padinha garantiu que o lançamento da marca virá acompanhada de vantagens para os usuários, principalmente na tarifação.