A aprovação da fusão de Kroton e Anhanguera por acionistas nesta quinta-feira, 3, permite que se inicie o processo para venda da Uniasselvi, instituição de ensino superior cuja alienação foi determinada após acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Em entrevista coletiva sobre a aprovação da fusão, o presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, afirmou que a companhia estruturará neste segundo semestre o processo de venda da Uniasselvi, mas afirmou que há tempo até que ele seja concluído.

“O Cade nos deu um prazo para o desinvestimento, que é sigiloso, mas nós estamos confortáveis com ele”, declarou. O executivo voltou a afirmar que há sinalizações de interesse de companhias na compra da Uniasselvi, o que considerou um bom sinal. “Temos indicações de interesse, o que nos leva a crer que será um processo competitivo”, concluiu.

Algumas companhias já manifestaram interesse em avaliar a Uniasselvi para uma possível aquisição. O grupo Ser Educacional é um deles. Em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, na última semana, o presidente da Anima Educação, Daniel Castanho, também afirmou que considera a possibilidade de estudar o ativo.