Após registrarem entrada de R$ 12,27 bilhões na semana retrasada, os fundos de investimento voltaram a captar entre os dias 13 e 20 de setembro. Desta vez, o montante foi de R$ 2,21 bilhões, segundo o Fortuna.

A captação líquida foi impulsionada pelos ingressos nos fundos do poder público, que reúnem os recursos captados junto aos municípios, Estados e governo federal (R$ 2,42 bilhões) e nos de curto prazo (R$ 1,06 bilhão). Em termos de rentabilidade, a variação destes produtos foi de +0,39% e +0,14%, respectivamente. No mesmo período, o CDI rendeu 0,17%.

Na contramão, os fundos multimercados, que operam nos mercados de juros, câmbio, renda variável e derivativos, tiveram resgate de R$ 2,27 bilhões no período de referência, gerando retorno de 0,34%. Os fundos de renda fixa seguiram a mesma tendência, com saída de R$ 2,68 bilhões e ganho de 0,38%.

Os fundos classificados como outros (FIDCs, off-shore, referenciado-outros, capital estrangeiro e em quarentena) tiveram resgates de R$ 163 milhões na semana e perda de 1,11%. Já os fundos de participação captaram R$ 155 milhões e geraram ganho de 0,59% no período. Ao mesmo tempo, os fundos de ações registraram saída de R$ 174 milhões e renderam 0,43% na semana – abaixo da variação do Ibovespa, de 0,58% no mesmo período.

Por sua vez, os fundos cambiais e de investimento no exterior (Fiex) captaram R$ 135 milhões, com perda de 2,46%. Já os produtos de previdência registraram ingresso de R$ 172 milhões e ganho de 0,36%. Os fundos DI captaram R$ 186 milhões no período de referência e tiveram retorno de 0,16%. A indústria de fundos captou R$ 94,1 bilhões no acumulado de 2013, até o dia 20 de setembro. O patrimônio total das carteiras está em R$ 2,53 trilhões.