Rio (AE) – O Brasil encerrou 2006 com uma frota de 1,325 milhão de veículos leves convertidos para usar gás natural como combustível (GNV), segundo dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP). Em relação ao final de 2005, houve aumento de 26%, o que ilustra o forte interesse do consumidor pelo combustível, basicamente pelos preços mais baixos do gás em relação à gasolina e ao álcool hidratado. Ao todo, em valores absolutos, o número de conversões em 2006 somou 272.610 veículos.

Com o aumento da frota, o consumo de gás natural registrou expansão proporcional, atingindo 7,124 milhões de metros cúbicos diários no final de 2006, ante os 5,897 milhões de metros cúbicos observados 12 meses antes. Segundo o IBP, o GNV custava cerca de metade do preço da gasolina em dezembro e 21% abaixo dos preços médios do álcool hidratado, que estavam em R$ 2,516 por litro (gasolina), R$ 1,596 para o álcool e R$ 1,256 por metro cúbico, para o GNV.

O Estado do Rio continua concentrando o maior número de veículos convertidos, representando 42% do total. Em seguida vêm Estado de São Paulo (24%), Minas Gerais (5%) e Bahia (4%).

No final de dezembro passado, o País tinha 1.356 postos instalados para revender combustível aos consumidores, com acréscimo de 13,76% em relação aos 1.192 registrados um ano antes.