enkontra.com
Fechar busca

Economia

Fornecedores de cana ameaçam com boicote

  • Por Agência Estado

Ribeirão Preto  – Fornecedores paulistas de cana-de-açúcar ameaçam boicotar as usinas e destilarias e não entregar o produto para a moagem antecipada, em abril, caso não haja uma negociação em relação ao preço. Como a colheita vai ser adiantada para que haja a produção excedente de 600 milhões de litros de álcool antes do início da safra na região Centro-Sul do Brasil, em maio, a cana colhida terá um menor teor de sacarose e uma produtividade até 20% menor.

Com isso, o preço pago pela tonelada de cana em abril é calculado pelos usineiros em R$ 22 a tonelada. Já os fornecedores dizem que o custo hoje é de R$ 30, querem o pagamento de até R$ 36 e esperam que o preço chegue a R$ 40 em maio.

Como os usineiros se negam a pagar este preço, alegando que já estão colaborando para evitar o desabastecimento ao antecipar a produção em um mês, os fornecedores avisaram, na reunião do Conselho dos Produtores de Cana-de-açúcar, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo (Consecana), na última semana, que não irão fornecer a cana. Esses fornecedores respondem por cerca de 25% da cana moída pelas usinas paulistas – em algumas regiões como Ribeirão Preto, esse índice chega a 50% – a única saída possível até agora é as usinas arcarem com o prejuízo.

“Acho que falta um senso de responsabilidade para os fornecedores, que estão raciocinando de forma equivocada dentro da cadeia produtiva. Caso eles não entreguem a cana, vão estar quebrando a cadeia produtiva. Ou seja, a produção vai cair no futuro e os fornecedores não vão ter para quem entregar o produto depois”, disse Maurílio Biagi Filho, conselheiro da Companhia Energética Santa Elisa e da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica).

“Os fornecedores não podem arcar com o prejuízo sozinhos. É preciso discutir e chegar a um acordo já que esse assunto não foi bem trabalhado durante as negociações para a antecipação da safra”, afirmou Oswaldo Alonso, consultor técnico da Associação dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo (Canaoeste).

Reunião

Os fornecedores de cana e usineiros tentam hoje, em reunião na cidade de Sertãozinho (SP), chegar a um acordo sobre o preço a ser pago pelo produto colhido antecipadamente. Cerca de 500 representantes das duas partes no Estado de São Paulo são esperados para o encontro, na sede da Associação dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo (Canaoeste). Na reunião, estará presente o secretário da Agricultura e Abastecimento Antônio Duarte Nogueira Júnior, escolhido para ser o mediador.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas