A montadora norte-americana Ford registrou em julho o primeiro aumento mensal de vendas na comparação com igual mês do ano anterior desde novembro de 2007, de acordo com o analista de vendas da companhia George Pipas. Ele indicou que muito provavelmente as vendas da montadora só ficaram positivas na última semana do mês passado. A Ford deve divulgar o resultado amanhã.

A boa notícia para a companhia coincide com um momento de incerteza sobre o futuro do popular programa “Dinheiro por sucata” lançado pelo governo norte-americano para incentivar a compra de carros novos por meio da concessão de até US$ 4,5 mil em descontos. O secretário de Transportes dos EUA, Ray LaHood, disse que o governo de Barack Obama vai honrar qualquer venda fechada com base no programa até a próxima terça-feira (dia 4). Mas ele alertou que, a menos que o Senado dos Estados Unidos aprove a ampliação de US$ 2 bilhões do financiamento para o programa esta semana, o governo será forçado a encerrá-lo. O programa teve início em 24 de julho e foi tão bem-sucedido que o governo Obama disse na semana passada que o fundo de US$ 1 bilhão destinado a ele estava prestes a se esgotar.

Já a Chrysler informou hoje que irá encerrar a promoção que oferecia a seus clientes o dobro de incentivos do programa “Dinheiro por sucata”, em meio a reclamações dos concessionários de que os estoques estavam acabando. Antes, a empresa dava US$ 4,5 mil adicionais em desconto sobre o preço do carro novo. A partir de terça-feira, a montadora vai variar essa quantia, dependendo do modelo e da marca escolhidos pelo cliente.

De acordo com Jodi Tinson, porta-voz da montadora, a Chrysler está mudando a mensagem, “para se concentrar menos na venda e mais nos produtos”. A campanha de dobrar os descontos do governo “fez o que precisava fazer” em termos de impacto sobre o movimento nas concessionárias do grupo, disse ela. As informações são da Dow Jones.