Assim como fez o Banco Central na semana passada, analistas do mercado financeiro revisaram para pior suas previsões para o déficit em conta corrente e a balança comercial. Como mostrou o relatório de mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 23, pela autoridade monetária, a mediana das estimativas para a balança comercial de 2013 caiu de US$ 6,55 bilhões da semana passada para US$ 6,50 bilhões agora – há um mês estava em US$ 8,30 bilhões.

O mesmo movimento de ajustes foi visto para o indicador no próximo ano: a mediana das previsões para a balança comercial passou de um superávit de US$ 9 bilhões da semana passada para US$ 8 bilhões agora, se distanciando ainda mais do total aguardado há um mês, de US$ 10,40 bilhões.

Com essa deterioração comercial, o rombo esperado na conta corrente deste ano aumentou de US$ 73,66 bilhões para US$ 73,76 bilhões. Vale lembrar que quatro semanas atrás a previsão mediana era de US$ 72,00 bilhões. Para 2014, também houve piora, com a mediana passando de um déficit corrente de US$ 78,50 bilhões para US$ 79 bilhões. Há um mês, a perspectiva era de um resultado negativo de US$ 78,00 bilhões.

O maior problema disso tudo é que não houve alteração nas previsões para o Investimento Estrangeiro Direto (IED), que ajuda a financiar o déficit. Conforme a Focus, o ingresso desses recursos deve somar US$ 60 bilhões não só este ano como também em 2014. A mediana está estacionada neste patamar há 28 semanas, no caso de 2013, e há 45 semanas, para 2014.

Também não houve alterações para a relação dívida/PIB em 2013 e 2014. Nos dois anos, a expectativa dos analistas é a de que essa relação encerre em 35%, como já era aguardado na semana passada e há quatro semanas, no caso da previsão para este ano. Há um mês, a expectativa para a dívida/PIB em 2014 estava em 34,90%.