O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 8, pelo Banco Central, mostrou poucas mudanças nas estimativas para o câmbio. A mediana das projeções para o dólar no fim de dezembro de 2014 foi mantida em R$ 2,55 pela segunda semana seguida – há um mês, estava em R$ 2,50. Já para 2015, a cotação subiu de R$ 2,67 para R$ 2,70 de uma semana para outra – um mês antes estava em R$ 2,60.

A projeção mediana para o câmbio médio deste ano permaneceu em R$ 2,35, mesmo valor há três semanas. A cotação, um mês antes, estava em R$ 2,34. Para o ano que vem, a mediana do dólar médio subiu de R$ 2,59 para R$ 2,60. No levantamento de um mês atrás estava em R$ 2,52.

IGPs

As expectativas para os IGPs continuam subindo, acompanhando a elevação do dólar corrente. De acordo com a pesquisa, a mediana das previsões para o IGP-DI deste ano foi elevada de 3,81% da semana passada para 4,06% agora. Um mês antes, a taxa estava em 3,38%. Para 2015, o ponto central da pesquisa passou de 5,69% para 5,70% hoje. Há quatro semanas era de 5,54%.

No IGP-M para 2014, a mediana das estimativas segue estável em 3,72%. Quatro semanas antes estava em 3,48%. No caso de 2015, a estimativa central da Focus subiu de 5,56% para 5,64% agora. Há um mês estava em 5,54%.

O mercado manteve a mediana das previsões para os preços administrados deste ano e do próximo inalteradas. A taxa ficou em 5,30% para 2014 – mesmo valor há quatro semanas consecutivas. Já a mediana para esse conjunto de preços em 2015 ficou em 7,20% – há um mês essa previsão estava em 7,00%.

O IPC-Fipe para este ano subiu, na Focus, de 5,26% para 5,46% – quatro semanas antes estava em 5,22%. Para o ano que vem, o ponto central do levantamento subiu de 5,27% para 5,50% – um mês atrás estava em 5,38%.

Saldo comercial

A previsão de saldo da balança em 2014 segue em zero. No levantamento anterior, essa previsão havia caído de um superávit minguado de US$ 100 milhões para zero. A queda das projeções foi vertiginosa, já que, há um mês, a perspectiva ainda era de um superávit de US$ 1,00 bilhão.

No caso de 2015, o resultado positivo projetado pelos participantes segue em US$ 6,31 bilhões. Um mês atrás, a projeção era de um saldo positivo de US$ 7,00 bilhões em 2015.

O mercado financeiro aumentou a previsão mediana para o déficit em conta corrente de 2014, que subiu de US$ 83 bilhões para US$ 84,23 bilhões. Um mês atrás, a mediana das estimativas era de US$ 82 bilhões. Para 2015, a mediana das estimativas passou do patamar negativo de US$ 78,00 bilhões para -US$ 76,55 bilhões no levantamento de hoje. Há quatro semanas estava em -US$ 76,90 bilhões.

Para esses analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) será insuficiente para cobrir o rombo, já que a mediana das previsões para esse indicador segue em US$ 60,00 bilhões há 35 semanas para 2014. Para 2015, a mediana foi mantida em US$ 58,00 bilhões pela terceira semana consecutiva. Um mês antes estava em US$ 58,50 bilhões.