São Paulo

– O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, se reuniu durante todo o dia de ontem com assessores e dirigentes do Partido dos Trabalhadores, em um hotel da zona sul de São Paulo. No encontro, foram discutidas questões a serem tratadas no encontro com a missão do Fundo Monetário Internacional (FMI), prevista para desembarcar amanhã no País. Nesse encontro foram discutidos os termos da revisão do acordo que o Brasil firmou com o FMI.

No encontro que manteve na noite de anteontem com o presidente Fernando Henrique Cardoso, Lula informou que não pretende apresentar nenhuma proposta à missão do FMI ou fazer a revisão do acordo que garante US$ 30 bilhões ao futuro governo brasileiro. Durante o jantar de quase quatro horas, Lula e Fernando Henrique conversaram também sobre as relações internacionais do País e sobre a proposta orçamentária do governo para o ano que vem.

Os petistas não querem participar das negociações com o FMI. Pretendem ter apenas o papel de ouvinte. “O presidente eleito não pretende apresentar nenhuma proposição ao FMI, quer apenas dialogar porque a negociação de contratos é prerrogativa do atual governo”, explicou o coordenador-geral da equipe de transição do futuro governo, Antônio Palocci. Ele disse, entretanto, que aguarda convite oficial dos membros FMI para enviar observador do futuro governo neste encontro. “Se o convite se confirmar, estudaremos com Lula, no fim de semana, a pessoa, ou a equipe de pessoas, que se encontrará com a missão”, esclareceu ele.

Palocci ainda arriscou palpites sobre economia. Mostrou-se confiante quanto a desenvolvimento do País, apesar das dificuldades aguardadas para o próximo ano. “Mesmo com algumas turbulências a economia está começando a dar sinais de estabilidade e tranqüilidade”, ressaltou Palocci. Também neste fim de semana, Lula decide quando vai à Casa Branca, atendendo ao convite do presidente americano George W. Bush. A expectativa é de que o encontro aconteça em dezembro. Além de Palocci, o presidente do PT, deputado José Dirceu (SP), acompanhou Lula no encontro com FHC.

Segundo o jornalista André Singer, porta-voz do presidente eleito, o encontro foi agendado a pedido de Lula. O petista também queria ter uma conversa com Fernando Henrique sobre a política internacional brasileira. Antes de tomar posse, Lula pretendia fazer algumas viagens a países do Mercosul e talvez aos Estados Unidos e queria ouvir de Fernando Henrique sua opinião sobre as relações internacionais. “Foi uma importante troca de idéias”, resumiu Singer.