O Brasil segue com o registro de saída líquida de dólares. Dados divulgados nesta quarta-feira pelo Banco Central mostram que o fluxo cambial da semana passada ficou negativo em US$ 1,253 bilhão. Com o resultado observado entre os dias 21 e 25, maio acumula saída líquida de US$ 2,763 bilhões, conforme dados atualizados até a última sexta-feira.

Ao contrário do observado nas semanas anteriores, a semana passada terminou com entrada líquida de US$ 145 milhões pela via financeira. O valor foi gerado pelo ingresso de US$ 6,971 bilhões, maior do que as saídas de US$ 6,825 bilhões. Nessa cifra estão as operações de câmbio para investimento em ações, renda fixa, empréstimos, remessas de lucros e investimentos produtivos, entre outras transações.

Apesar da entrada líquida na quarta semana do mês, maio segue, no acumulado do mês, com fluxo financeiro negativo em US$ 5,051 bilhões. Segundo dados do BC, a saída de dólares da semana passada foi gerada exclusivamente pela conta do comércio exterior. Em um período em que as cotações da moeda permaneceram em boa parte dos negócios acima de R$ 2, a semana passada terminou com saída líquida de US$ 1,398 bilhão via comércio exterior. O valor foi gerado entre os dias 23 e 25, quando o fluxo comercial ficou negativo em US$ 1,697 bilhão.

Na semana, a entrada via exportações somou US$ 3,77 bilhões e foi menor do que a saída para pagar importações, que alcançou US$ 5,167 bilhões. No acumulado de maio, até o dia 25, porém, os números do comércio exterior seguem no azul e sinalizam entrada líquida de US$ 2,288 bilhões.