A relação entre os preços médios do etanol e da gasolina em São Paulo na terceira semana de agosto quase não se alterou em relação à segunda, ao passar de 64,20% para 64,19%, permanecendo não só no menor patamar do ano, como também no mais baixo desde a segunda semana de junho de 2011 (62,96%), informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), nesta terça-feira, 27.

“O que não deixa de ser uma boa notícia. A relação parece estar se estabilizando num patamar baixo”, disse o coordenador do IPC-Fipe, Rafael Costa Lima. Na terceira semana de agosto de 2012, a relação estava em 66,95%.

Para especialistas, o uso do etanol deixa de ser vantajoso sobre a gasolina quando o preço do derivado da cana-de-açúcar representa mais de 70% do valor da gasolina. A vantagem é calculada considerando que o poder calorífico do motor a etanol é de 70% do poder dos motores a gasolina. Entre 70% e 70,50%, é considerada indiferente a utilização de gasolina ou etanol no tanque.

No IPC da terceira quadrissemana de agosto, o etanol ampliou o declínio de -0,17% para -0,54%, enquanto a gasolina perdeu força de baixa (-0,18% para -0,11%). “Vamos aguardar para ver se haverá alta nos preços da gasolina, o que poderia favorecer ainda mais o uso do etanol”, disse.