A inflação na capital paulista apresentou alta acumulada de 3,88% nos primeiros oito meses de 2011, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A taxa foi superior à observada no mesmo período de 2010, quando o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) havia registrado variação positiva de 3,45%. No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em agosto de 2011, o IPC alcançou a marca de 6,84%, superior à de 6,60% do período de 12 meses terminado em julho deste ano.

Hoje, a Fipe divulgou que o indicador paulistano subiu 0,39% em agosto, o que representou uma aceleração ante a taxa positiva de julho, de 0,30%. O indicador ficou abaixo das estimativas dos analistas consultados pela Agência Estado, que iam de 0,42% a 0,48%, com mediana de 0,45%. E também veio aquém da expectativa da Fipe, de 0,42%.

Entre os grupos pesquisados pela Fipe, Educação e Transportes são os maiores destaques de 2011, com altas acumuladas de 6,60% e 6,59% entre janeiro e agosto, bem acima da média da inflação geral do período. Os grupos Saúde e Despesas Pessoais acumulam elevação de 5,58% e 4,63%. Na sequência, os grupos Habitação, Vestuário e Alimentação apresentam variações acumuladas de 3,16%, 3,05% e 1,85%, respectivamente.