Fábio Alexandre
Fábio Alexandre

Para consultor, é comum o futuro
mutuário não saber qual plano de financiamento está contratando, nem
o tipo de reajuste aplicado.

O sonho da casa própria pode se transformar em pesadelo, caso o futuro comprador não tome alguns cuidados. ?Pouquíssimos buscam orientação antes de fechar negócio; apenas nos procuram quando já estão com problemas?, afirmou Rudger Martins de Souza, consultor da Associação Nacional dos Mutuários (ANM), em Curitiba.

Segundo Souza, é comum o futuro mutuário não saber qual plano de financiamento está contratando, nem o tipo de reajuste que será aplicado. ?Existem vários tipos de planos para amortizar a dívida: os ruins e os menos piores?, comentou. Segundo ele, qualquer financiamento pela tabela Price é negativo. Entre os ?menos piores?, para Souza, estão os financiamentos pelo sistema Sacre (Sistema de Amortização Crescente) e SAC (Sistema de Amortização Constante).

?Nossa orientação é de sempre financiar o menor valor possível, dentro do menor prazo possível e comprometendo no máximo 15% da renda?, aconselhou, ao contrário do que o sistema financeiro indica, que é o comprometimento de até 30% da renda familiar. ?O problema é que as prestações são corrigidas e o reajuste salarial não consegue alcançar. Há casos em que o comprometimento com as parcelas chega a 80% da renda.?

Ocupados

O futuro mutuário tem que estar atento ainda à compra de imóveis ocupados. ?Eles são entre 20% e 30% mais baratos, mas apresentam risco e incômodo?, afirmou o consultor jurídico da Associação Brasileira de Moradores e Mutuários (ABMM) em Curitiba, Paulo de Tarso.

Segundo o consultor, nem sempre é fácil tirar a pessoa de dentro do imóvel. Para Tarso, o ideal é que o futuro comprador visite o imóvel, saiba quem é o morador, converse com ele, saiba o histórico -normalmente, o mutuário está perdendo o imóvel por inadimplência – e se ele pediu revisão contratual. Além disso, é importante verificar junto ao Registro de Imóveis a situação do bem em questão.

Serviço

Mais informações com a Associação Brasileira de Moradores e Mutuários (ABMM), em Curitiba, através do fone (41) 3023-2266. Fone de contato da Associação Nacional de Mutuários (ANM): (41) 3077- 5504.