O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista caiu 0,8% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal. Na passagem do 2º para o 3º trimestre, o índice cedeu 3,2%, conforme informou nesta quinta-feira, 29, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Na série sem ajuste, o indicador teve queda mensal de 0,3%. Na comparação com o mesmo mês de 2014, o indicador recuou 9,2%. No acumulado do ano, o INA registra perda de 5,1%.

“Nós percebemos, comparativamente a outros meses mais recentes, que o ritmo de queda desacelerou-se, ou seja, a atividade industrial continua caindo, porém não com a velocidade que estava”, escreveu, em nota, o diretor do Departamento Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon), Paulo Francini. Para ele, no entanto, esse comportamento precisa ser observado nos próximos meses para confirmar uma desaceleração da queda.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) ficou em 76,7% em setembro, de 76,1% em agosto e 80,7% em setembro de 2014, na série sem ajuste sazonal. Já na medição com ajuste, o Nuci do mês passado foi de 75,8%, ante 75,3% ante agosto e 79,5% em setembro do ano passado.

A Fiesp informou ainda que o INA de agosto ante julho, na série com ajuste, foi revisado de uma queda de 2,5% para uma retração de 2,1%. Na série sem ajuste, o indicador de agosto ante julho foi revisado de recuo de 0,7% para expansão de 0,1%.

Sensor

A confiança dos empresários industriais paulistas ficou em 46,2 pontos na pesquisa Sensor de outubro, ante 44,5 pontos na sondagem de setembro, na série sem ajuste sazonal. Na série com ajuste, o Sensor mostrou que o indicador foi de 43,7 pontos em setembro para 45,8 pontos em outubro. O indicador busca obter informações da atividade da indústria de transformação durante o mês corrente da coleta de dados.

Dos cinco itens que compõem o Sensor, dois subiram e três ficaram estáveis na série sem ajuste, de acordo com a classificação da Fiesp.

O maior avanço foi em Emprego, que ganhou 5,7 pontos, para 46,6 pontos. Em Investimento, a alta foi de 3,2 pontos, para 45,9 pontos.

Em Estoque, a variação foi negativa em 2,0 pontos – dentro do que a Fiesp considera estabilidade – para 43,5 pontos. Mercado e Vendas também recuaram dentro da classificação de estabilidade, com queda para ambos de 1,1 ponto, para 43,8 pontos e 51,4 pontos, respectivamente.