Os empresários começaram o ano de 2011 com o humor em baixa. O Índice de Confiança da Indústria (ICI), indicador-síntese da Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação, caiu 1,5% em janeiro ante dezembro, segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa é bem diferente da apurada no mês passado, quando o ICI subiu 1,6% em relação a novembro.

O ICI é um indicador cujo cálculo é baseado em cinco tópicos da Sondagem da Indústria. A partir das respostas dos tópicos, a FGV elabora o resultado do índice dentro de uma escala que vai até 200 pontos, sendo que o desempenho do indicador é de queda ou de elevação se a pontuação total das respostas fica abaixo ou acima de 100 pontos, respectivamente. Os dados atualizados do índice mostram que, de dezembro para janeiro, o indicador recuou de 114,5 pontos para 112,8 pontos, na série com ajuste sazonal.

Para a FGV, apesar da queda, o indicador mantém-se em patamar elevado em janeiro e superior à média histórica, de 101,6 pontos. Na comparação com janeiro do ano passado, o ICI registrou queda de 0,1% neste mês, após avançar 1,0% em dezembro, nos dados sem ajuste sazonal.

O ICI é composto por dois indicadores: o Índice da Situação Atual (ISA) e o Índice de Expectativas (IE). O ISA teve queda de 3,5% em janeiro, após subir 1,3% em dezembro, na série com ajuste sazonal. Já o IE apresentou alta de 0,7% no primeiro mês do ano, em comparação com a taxa positiva de 1,9% em dezembro. Na comparação com janeiro do ano passado, nos dados sem ajuste sazonal, houve aumento de 0,1% e queda de 0,1%, respectivamente, para o ISA e para o IE, em janeiro deste ano. O levantamento para cálculo do índice ocorreu entre os dias 3 e 26 deste mês, em uma amostra de 1.192 empresas.