O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou ontem (30) medida para facilitar o uso do FGTS no abatimento de prestações e saldo devedor de empréstimos habitacionais. O trabalhador que tiver conta no FGTS há mais de três anos poderá, a partir de janeiro, sacar seus recursos para pagar até 80% do valor das prestações ou do saldo devedor dos financiamentos.

A medida beneficia principalmente trabalhadores com renda mais alta. Hoje, só quem ganha até quatro salários mínimos (R$ 1.520) pode abater 80% do saldo ou das prestações. Quem recebe entre quatro e 12 mínimos (R$ 4.560) só pode abater 60%. Para quem ganha acima disso, o limite é 40%.

Como antecipou ontem a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo o Conselho aprovou também a criação de uma linha de empréstimo imobiliário, com recursos do FGTS, para os titulares de contas do Fundo com salário superior a R$ 4,9 mil. Eles poderão adquirir imóveis de até R$ 350 mil e, para isso, tomar empréstimos de até R$ 245 mil nos bancos que trabalharem com a nova linha. A taxa de juros será de 8,66% ao ano (mais TR), bem menor que a média de 10,5% (mais TR), cobrada em financiamentos com dinheiro da caderneta de poupança. A medida também vai valer a partir de janeiro de 2008.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo