O fenômeno progressivo da industrialização paranaense não se explica apenas pela cota de recursos internacionais aqui aportados, mas às centenas e milhares de novos empreendimentos (micros, pequenas e médias empresas), que transformam o Paraná num Estado produtivo, numa importante praça de negócios, além de líder na geração de empregos industriais, segundo atesta recente pesquisa do IBGE e os demonstrativos mensais da Federação das Indústrias do Estado do Paraná.

Ao comemorar o Dia da Indústria, o presidente do Sistema Federação das Indústrias, José Carlos Gomes Carvalho, faz um balanço das atividades do Sistema Fiep, afirmando que a partir de outubro de 1996, quando assumiu a instituição representativa dos industriais, “pensamos e consolidamos um modelo de gestão participativa, priorizando políticas de desenvolvimento global, investindo recursos e capacitando empreendedores, incentivando as empresas locais, que representam a opção mais inteligente para reverter o desemprego. Atingimos metas, integramos as unidades de serviço do Sistema Fiep, que é mantido pela iniciativa privada e não, como erroneamente se pensa, por recursos públicos. Desfizemos o equívoco, o falso conceito que, por vezes, confunde o nosso sistema como mais um órgão público, o que não é verdade. Inovamos em tecnologias de informação, abrimos vários canais de contatos, através de 19 conselhos temáticos, realizamos de forma rotineira encontros e cursos de capacitação, de gestão e requalificação. Estabelecemos conceitos e estratégias de curto, médio e longo prazo para inserir a Federação das Indústrias no cenário nacional e mundial”.

Centro dos trabalhadores

Nesse período foi inaugurado o Cietep e ali instalados a Fundação Getúlio Vargas, com cursos de pós-graduação e mestrado, a Fundação Araucária das nossas universidades estaduais, o Paraná Tecnologia, a Universidade Eletrônica, o Centro de Design e Moda do Senai, o Laboratório de Análises Clínicas e o Centro de Audiometria do Sesi e ainda em fase de instalação o Lactec, um dos melhores e mais premiados laboratórios eletroeletrônicos do País, ressaltando-se, ainda, a Universidade de Alimentos, que qualifica todas as necessidades dessa importante área da indústria paranaense.

Bom exemplo foi a transformação da fábrica de cigarros da Philip Morris para produtora de chocolates, evitando assim um grande número de desempregos.

O Centro Automotivo do Senai, instalado no Cietep, qualifica todos os trabalhadores que foram admitidos na indústria automobilística.

Vale destacar, ainda, que dentro do complexo do centro integrado na Avenida das Torres, um dos edifícios foi destinado especialmente a exposições e eventos, o qual complementa os dois magníficos auditórios e átrios existentes, permitindo assim a realização de seminários e exposições, cuja renda dá sustentabilidade ao complexo.

“Este é o nosso Cietep, o Centro Integrado dos Empresários e Trabalhadores da Indústria do Estado do Paraná, aliás o único existente no país, dentro do Sistema CNI, a Confederação Nacional da Indústria.”

Descentralização e qualidade

Em funcionamento, 20 coordenadorias regionais nas regiões pólo do Estado, que são exercidas por empresários industriais locais, representando a entidade em suas respectivas regiões, estabelecendo, dessa forma, uma via permanente de mão dupla, dos interesses e soluções da região com a presidência da federação e suas vinculadas.

O Senai do Paraná foi o primeiro no Brasil, dentro do Sistema CNI, a obter a Certificação ISO 9001/94. Da mesma forma seguiram, respectivamente, o Sesi na obtenção das ISO 9001/2000 em dois escopos: Laboratório de Análises Clínicas e Serviços de Consultoria para Implantação de Sistemas de Gestão de Responsabilidade Social com base nos requisitos das Normas SA 8000 e Certificação da Norma SA 8000/2001 de Responsabilidade Social, seguindo-se o Instituto Euvaldo Lodi na obtenção da ISO 9002/94 e posteriormente a federação, completando assim todo o ciclo do sistema.

Fato de extrema relevância, o Sesi/PR, em dezembro do ano passado, recebeu a Certificação da SA 8000 de Responsabilidade Social, uma das dezessete existentes em toda a sociedade brasileira.

Memória e comunicação

Com intuito da preservação dos quase 60 anos de história da Federação das Indústrias, que se confunde com a própria história do desenvolvimento industrial do Estado, foi criado o Centro da Memória do Sistema Fiep, onde se acham preservados e disponíveis para visitação e pesquisa os documentos e registros mais importantes da trajetória das entidades.

Foram produzidos, publicados e editados inúmeros artigos e trabalhos sobre os temas mais importantes da atualidade, traduzindo-se em fonte de informação e orientação à comunidade industrial paranaense, como:

-Catálogo Industrial impresso e em CD-Rom, com dados das indústrias do Paraná, atualizado anualmente;

-Sondagem Industrial, publicado todos os anos, o qual reflete a visão dos líderes industriais paranaenses sobre diversos aspectos e tendências da economia;

-Indicadores Conjunturais da Indústria Paranaense, que refletem mensalmente o desempenho dos diversos setores da indústria;

-Boletim Mensal dos Resultados da Balança Comercial do Paraná e Brasil;

-Publicação sobre Taxas de Juros e o Custo Financeiro para girar os negócios da Indústria;

-Edição do documento “A Indústria e o Paraná – Uma agenda para o crescimento”;

-Manual orientativo sobre o “Uso Racional de Energia”;

-Cartilha sobre a utilização de “Incentivos Fiscais”;

-Publicação sobre “Considerações gerais sobre as mudanças do novo Código Civil – Como fica sua empresa”;

Acompanhando a tendência mundial, avançamos no aproveitamento da internet, desenvolvendo a home-page www.fiepr.com.br que contempla um amplo espectro de informações de todas as atividades do sistema. No site, estão disponibilizados noticiários, comentários, serviços e produtos de cada uma das entidades do sistema, gerando referências para informação, pesquisas e orientações que se traduzem em instrumentos para tomada de decisões por parte dos empresários e a obtenção e qualificação e qualidade de vida dos trabalhadores.

Além de notícias avulsas, oferecemos um boletim eletrônico (Fiep.com), direcionado por correio eletrônico e disponibilizado no site.

Logística

Por iniciativa do Sistema Fiep, foi criada a Câmara Paranaense de Logística, composta pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Federação do Comércio do Paraná, Federação da Agricultura, Federação das Empresas de Transportes de Cargas, Federação das Associações Comerciais, Industriais e Agropecuárias, Organização das Cooperativas do Estado, Associação Comercial, Associação Brasileira de Logística, Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral, Secretaria de Estado dos Transportes, Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina.

Como resultado das diversas ações empreendidas na busca constante de relações harmoniosas entre empresários e trabalhadores, “podemos com satisfação afirmar que recente pesquisa apontou o Estado do Paraná como detentor dos melhores índices de satisfação nas negociações entre Capital e Trabalho”, disse Carvalho.

A produção em números

Senai – Com atuação nas áreas de Educação Profissional e Serviços Tecnológicos, o Senai/PR capacita trabalhadores de forma direta e indireta em cursos nos níveis básico, técnico e tecnológico, contribuindo desta forma para o desenvolvimento econômico. Os Serviços Tecnológicos do Senai compreendem assessoria no processo produtivo, visando a melhoria operacional, consultoria nas áreas de Gestão Ambiental, Empresarial e da Qualidade e Informação Tecnológica direcionada aos negócios.Todas as unidades do Senai no estado já possuem a Certificação ISO-9001.

Veja os grande números do Senai durante o período 1995 a 2003 (*).

Matrículas – 500.000.

Aluno hora aula – 40.000.000

.Cursos técnicos – 76

.Serviços técnicos/tecnológicos executados – 155.000

.Horas técnicas – 500.000

.Empresas atendidas (**) -20.000

.Colaboradores – 540

* N.º de 2003 estimado

**86%, médias, pequenas, microempresas em 261 municípios do Paraná.

Sesi – A imagem da empresa cidadã não se enquadra na preocupação exclusiva de grandes empreendedores, das megafundações beneficentes ou das instituições filantrópicas. A responsabilidade social deve fazer parte da rotina empresarial, significando desde uma pequena ajuda a um projeto ou instituição beneficente, à opção consciente e profissional de servir, de destinar e conferir recursos à saúde, educação, esporte ou lazer, tarefas assumidas pelo Serviço Social da Indústria.

Veja os números do Sesi/PR 1995 a 2003(*)

.Educação do Trabalhador/Alunos – 644.284

.Saúde e Segurança no Trabalho

Trabalhadores atendidos – 214.566

Exames de Apoio Diagnóstico – 3.371.514

.Lazer/participantes -13.428.015

.Lazer na empresa/trabalhadores atendidos – 165.953

.Qualidade de Vida/responsabilidade social/atendimentos -3.972

.Empresas atendidas nos programas – 9.065

.Colaboradores – 433

.Horas de treinamento e desenvolvimento interno (**)

*n.º de 2003 estimado

**Treinamentos com enfoque corporativo.

IEL- A qualidade do sistema de ensino está relacionada a programas de aprendizagem aplicada e, principalmente, aos estágios desenvolvidos nas parcerias universidade e empresa. Essa integração resulta em modificações importantes nas atividades de ensino e pesquisa das universidades, influindo na forma de gestão das atividades acadêmicas, nos objetivos da pesquisa e no comportamento dos pesquisadores, além de facilitar o ingresso no mercado de trabalho. Uma das melhores alternativas que os jovens encontram para se lançar no mercado é o estágio em empresas, onde têm a oportunidade de praticar o que aprendem nas escolas, adquirir novos conhecimentos e agregar valores à formação profissional.

Diariamente, uma média de 200 estudantes, de nível médio e superior, procuram, através do Instituto Euvaldo Lodi (IEL/PR), em Curitiba, oportunidades de estágio.

Agora os números do IEL/PR de 1995 a 2003 (*)

Estágios

.Convênios/empresas – 3.985

.Convênios/instituições de ensino – 799

.Contratos de estágio – 38.096.

Incubadoras

.Incubadas – 495

.Graduadas – 0 56

Pós-graduação

.Cursos – 126

.Alunos – 5.697.

*N.º de 2003 estimado.