As últimas novidades em tecnologia da informação podem ser conhecidas no Centro de Exposições do Parque Barigüi, em Curitiba, até amanhã, quando se encerra a Infotel – 2.ª Feira e Congresso de Tecnologias e Negócios de Informática e Telecomunicações. Os 60 expositores estão apresentando novos equipamentos, soluções, aplicações e serviços do mercado de telecomunicações e tecnologia. Dados do Banco Central apontam que, no ano passado, o Brasil saltou de o¶tavo para primeiro lugar no ranking de competitividade global em Tecnologia da Informação (TI) da América Latina. Em 2003, o Instituto de Pesquisa Dataquest projeta crescimento de 6,2% na área de serviços de TI.

No ano passado, a internet atingiu 13 milhões de usuários no País, 48% mais que em 2001. A FGV estima que o Brasil terá 40 milhões de internautas até 2005. Com 13% do mercado nacional, o Paraná se destaca como o segundo maior faturamento na área de TI. O Estado fatura mais que Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro juntos. Curitiba ocupa a quarta posição no ranking brasileiro de empresas de software que investem em exportação.

Os 15 mil visitantes esperados na Infotel têm a oportunidade de conhecer produtos e serviços para todos os tipos e tamanhos de empresas. No estande batizado de “Escritório Livre”, o Movimento Software Livre Paraná apresentou as aplicações básicas disponíveis em softwares não-proprietários, como editor de texto, planilhas, ferramenta de correio eletrônico, baseadas no sistema operacional Linux. “Se sai um problema de segurança no software, há uma comunidade de milhões de pessoas no mundo trabalhando para consertar a falha. Não é preciso esperar que uma empresa faça a correção”, comenta Denis Galvão, do Movimento Software Livre Paraná.

“Nos últimos dois anos, houve um forte crescimento de aplicações para desktop (usuários), antes só havia para servidores”, ressalta Galvão, citando que o governo do Estado é o maior case de adoção em massa de softwares livres para aplicações desktop. Como estes programas são de domínio público, são livres de pagamento de royalties. Segundo Galvão, 90% das empresas paranaenses usam o sistema Linux nos servidores. “A adoção desses softwares não é mais questão de quando, mas de como fazer”, considera.

Soluções

Diversos lançamentos visam a redução de custos. É o caso do serviço Business Meeting da Embratel, uma solução híbrida de áudio e videoconferência, permitindo a reunião de clientes falando de mais de 100 pontos simultaneamente (seja por Internet, celular ou telefone fixo). “Como o serviço é cobrado pelo uso, atende desde escritórios de profissionais liberais até grandes indústrias”, diz Augusto Raupp, gerente de produto da Embratel. “O cliente economiza custo de viagens, ganha na produtividade dos empregados e facilita que grupos de colaboradores de diferentes cidades trabalhem no mesmo documento simultaneamente”, exemplifica.

No estande da Brasil Telecom, três empresas parceiras exibem soluções corporativas usando a Internet rápida (ADSL). “Com a facilidade da telefonia IP, uma empresa de Curitiba com filial em São Paulo que paga um link de dados via Internet pode trafegar a voz e reduzir a zero o gasto com DDD”, cita André Ciappina, executivo de contas da Inservice. A Ideal Soft, que desenvolve softwares para automoção e interligação de lojas via Internet já vendeu mais de 10 mil cópias desde 94. “2004 será o grande boom da voz sobre o IP, a tão falada convergência de voz, dados e imagem”, prevê Renato de Carvalho Jr., gerente comercial da X-Link.