A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) aprovou a decisão de hoje do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), de elevar em 0,75 ponto porcentual a Selic (a taxa básica de juros da economia). Com isso, a taxa passa a 10,25% ao ano. Para a entidade, a decisão “está dentro das expectativas do mercado financeiro, como apontam as taxas de juros futuros”.

Em nota, a Febraban afirmou que, com a elevação da Selic, “fica reforçado o compromisso do Banco Central com o controle da inflação, buscando sua convergência para o centro da meta fixada, de 4,50%”. A federação afirmou ainda que “o crescimento de 9% do PIB brasileiro no 1º trimestre de 2010, ante o mesmo período de 2009, confirmou que a economia do País registrou forte recuperação dos impactos da crise global”. De acordo com a nota, “a elevação da taxa Selic visa a apenas moderar o ritmo de crescimento e adequá-lo à expansão da oferta, sem prejuízo da meta de inflação”.