As exportações paranaenses devem fechar o ano alcançando a marca de US$ 9,3 bilhões. A projeção é do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) apontando que o superávit paranaense baterá um novo recorde, superando US$ 5 bilhões. A estimativa leva em conta os dados da balança comercial de outubro, divulgados ontem pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná e pela Secretaria de Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul.

Segundo os números apurados pela Fiep, as exportações do Estado atingiram a marca de US$ 8,1 bilhões entre janeiro e outubro deste ano, superando em US$ 1 bilhão as vendas internacionais de todo o ano de 2003, que ficou em US$ 7,15 bilhões. Ao mesmo tempo, o saldo da balança comercial cresceu 48,4%, atingindo a marca de US$ 4,8 bilhões. No ano passado, o superávit dos primeiros dez meses ficou em US$ 3,23 bilhões.

Mês

Até outubro, o Paraná exportou US$ 2 bilhões a mais do que no mesmo período de 2003, o que representa uma evolução de 33,3% sobre os dez meses do ano passado. No mês, as vendas externas somaram US$ 715 milhões, contra US$ 662 milhões do mesmo mês do ano passado, registrando um crescimento de 7,64%.

Desde o começo do ano, a venda de produtos industrializados tem dominado a pauta da exportação paranaense. De janeiro a outubro, o setor industrial exportou US$ 4,41 bilhões, superando em US$ 800 milhões a venda de produtos primários, que somou US$ 3,61 bilhões em 2004.

No acumulado do ano, entre os produtos industrializados em destaque estão bombas injetoras (de US$ 8,8 milhões, em 2003, para US$ 109 milhões), produtos de marcenaria (de US$ 16 milhões para US$ 79 milhões), tratores (de US$ 16 milhões para US$ 73 milhões), carnes bovinas desossadas (de US$ 30 milhões para US$ 65 milhões), colheitadeiras (de US$ 28 milhões para US$ 61 milhões), entre outros.

EUA, China e Argentina

Os EUA voltaram a ser o principal parceiro comercial do Paraná. O mercado norte-americano comprou US$ 1,05 bilhão de produtos paranaenses, registrando um crescimento de 14,48% em relação a 2003. As vendas para a China ficaram em US$ 1,04 bilhão, mas com uma evolução bem mais sensível (87,16%) sobre o período do ano passado.

O maior crescimento entre os principais parceiros comerciais do Paraná neste ano foi o da Argentina. As exportações para o país vizinho aumentaram 93%, subindo de US$ 257 milhões, nos primeiros dez meses de 2003, para US$ 496 milhões, em 2004.

Além disso, houve crescimento significativo nas vendas para a França (73%) e Irã (78%). Os franceses compraram US$ 155 milhões a mais de produtos paranaenses, com destaque para o complexo soja e autopeças. O valor saiu de US$ 209 milhões para US$ 364 milhões. Para o Irã, as exportações subiram de US$ 239 milhões para US$ 427 milhões, com maior volume de vendas do complexo de soja, carnes e autopeças.

As vendas para os países europeus cresceram 30%. A União Européia adquiriu US$ 560 milhões a mais, alcançando até outubro a marca de US$ 2,325 bilhões.