As exportações do Paraná somaram US$ 12,2 bilhões de janeiro a setembro de 2008, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, com aumento de 34,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. O resultado está muito próximo do registrado durante todo o ano de 2007 (US$ 12,4 bilhões), o que não deixa dúvida quanto a um novo recorde neste ano.

Os produtos com as maiores contribuições para a expansão das vendas externas estaduais são a soja em grão, cujas exportações cresceram de US$ 846,7 milhões no acumulado janeiro-setembro de 2007 para US$ 1,8 bilhão no período janeiro-setembro de 2008; a carne de frango in natura (de US$ 795,3 milhões para US$ 1,2 bilhão) e o farelo de soja (de US$ 684,2 milhões para US$ 1 bilhão), o que evidencia a importância do agronegócio para o comércio exterior paranaense.

“Os últimos resultados do comércio exterior do Paraná ainda não refletem a recente crise mundial, havendo considerável contribuição da alta das cotações internacionais das commodities para o desempenho expressivo das exportações”, afirma Júlio Suzuki, analista de conjuntura do Ipardes – Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social.

Nos primeiros nove meses de 2008, as compras externas do Paraná totalizaram US$ 11 bilhões, refletindo o crescimento das importações de petróleo, fertilizantes e automóveis, entre outros produtos.

Para a coordenadora estadual de Assuntos Internacionais e do Mercosul, Maria do Socorro de Oliveira, o Brasil e o Paraná passam por um momento de expectativa sobre o mercado internacional.

“O Brasil é um grande produtor de alimentos e recursos naturais e já passamos por crises maiores onde éramos vistos com descrédito internacional.” De 2003 até hoje, a balança comercial brasileira e do Paraná só aumentou, explica a coordenadora. “Nosso país passou de quebrado para nação respeitada em cinco anos. O Paraná, mesmo nesse contexto, irá superar as exportações de anos anteriores.”