As exportações do Paraná somaram US$ 5,3 bilhões de janeiro a maio deste ano, uma alta de 17,85% na comparação com o mesmo período do ano passado. As importações fecharam com elevação de 52%, totalizando compras de US$ 4,7 bilhões.

O saldo foi de US$ 535 milhões. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Segundo o secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, o Paraná conquistou a maior alta entre os estados do Sul.

“Nossos embarques internacionais cresceram 17,85%, superando o desempenho do Rio Grande do Sul e Santa Catarina com crescimento de 13%”. O secretário acrescenta que a região Sul apresentou uma elevação de 16% em suas exportações, na comparação com os primeiros cinco meses de 2009.

Desde abril, as projeções de crescimento da balança comercial paranaense em 2010 foram confirmadas. Já em maio, o Estado passou de US$ 1,115 bilhão, na comparação com maio de 2009, para atuais US$ 1,363 bilhão, elevação de 22,18%. Nas importações, o Paraná passou de US$ 767 milhões para US$ 1,050 bilhão, garantindo saldo positivo de US$ 312 milhões.

Entre os produtos que contabilizaram incremento nas exportações nos primeiros cinco meses de 2010 destacam-se a soja em grão, com participação de 21% do total das vendas estaduais, frango congelado, automóveis, açúcar, trigo e óleo de soja.

Em relação às importações, o Paraná comprou principalmente óleo de petróleo, automóveis, produtos químicos, circuitos integrados e peças para o setor automotivo.

Países

China, Argentina e Alemanha lideram o ranking de principais destinos dos produtos estaduais nos cinco meses do ano. Os três países alcançaram ainda uma expressiva alta na comparação com mesmo período anterior: China (88,13%), Argentina (86,40%) e Alemanha (27,37%).

Entre os blocos econômicos, a Ásia liderou as compras de produtos do Paraná, atingindo US$ 1,612 bilhão e elevação de 35% sobre os mesmos cinco meses do ano passado.

Sobre os países do Mercado Comum do Sul (Mercosul), o bloco ocupa a terceira posição, logo atrás da União Europeia, e acumula alta de 75% nas exportações nos primeiros cinco meses do ano.

Foram US$ 759 milhões em vendas para o Paraguai, Argentina e Uruguai. Nas importações, cerca de US$ 600 milhões (alta de 18% sobre 2009), o que rendeu ao Estado um saldo positivo de US$ 162 milhões.