O desempenho das exportações de semimanufaturados, que cresceram 8,5%, impediu uma redução maior nos embarques registrados nas três semanas de julho deste ano, que recuaram 1,1% em relação à média diária de julho de 2006, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). As exportações de produtos básicos, com média diária de US$ 214,5 milhões, caíram 3,2%, em relação à média de julho de 2006, puxadas pela soja em grãos, pelo petróleo em bruto, carne bovina, minério de ferro e farelo de soja.

Os embarques de manufaturados, com média diária de US$ 318,9 milhões, foram prejudicados pelo desempenho dos setores elétrico e eletrônico, álcool etílico, telefones celulares, motores para veículos, máquinas para terraplenagem, óleos combustíveis e calçados. A queda nesse grupo foi de 1,3%. Com média diária de US$ 97 milhões, as vendas externas de semimanufaturados cresceram 8,5% graças aos aumentos verificados nas exportações de ligas de alumínio, de óleo de soja, de celulose, de alumínio em bruto e de ferro-liga, entre outros.

Importação

As compras de bens de capital e de insumos para setores produtivos aceleraram as importações nas três semanas de julho deste ano, que apresentaram crescimento de 27,7% na média diária em relação aos dados de julho de 2006. Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) mostram que, dos 23 principais capítulos da pauta de importação do País, apenas quatro apresentaram quedas – siderúrgicos, fios têxteis, algodão e cobre.

Entre os bens de capital, os equipamentos mecânicos tiveram aumento de 26,1% na média diária de importações, seguidos pelos equipamentos elétricos e eletrônicos, com elevação de 7,6%. Entre os insumos, as compras externas de adubos e fertilizantes cresceram 114,7%. A média diária de importação do principal item da pauta combustíveis e lubrificantes ficou em 35,3%.