O Brasil está disposto a ajudar o novo governo uruguaio na construção de um plano de desenvolvimento para o país, informou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva após encontro com o colega uruguaio, Tabaré Vázquez. De acordo com ele, os uruguaios poderão aproveitar a experiência do governo brasileiro com programas de crédito, habitação popular, apoio à microempresa, além do programa Fome Zero.

Brasília (ABr) – Lula disse também que o País quer acelerar as negociações para a realização de obras de infra-estrutura na região de fronteira, como a construção da segunda ponte sobre o Rio Jaguarão, a recuperação da Ponte Mauá e a integração energética entre os dois países.

O presidente brasileiro destacou o acordo, firmado pelos dois governos, que prevê a criação de uma comissão binacional nos setores de energia, geologia e mineração. ?É vital para o desenvolvimento de nossa região traçar estratégias coordenadas para o aproveitamento dos nossos recursos energéticos?, enfatizou.

Lula lembrou que, apesar da rigorosa seca no Sul do País, o Brasil tem mantido a venda de energia para o Uruguai. A ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, afirmou que a exportação de energia para o país vizinho pode aumentar em maio ou junho. Segundo ela, o aumento depende da melhora no nível da água das hidrelétricas da região Sul.

Acordos

Os governos dos dois países firmaram cinco acordos de cooperação em função da visita do presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, ao Brasil. Um deles prevê a criação de uma comissão mista bilateral permanente, para a construção de um programa de cooperação nas áreas de energia, geologia e mineração. A comissão vai se reunir uma vez por ano, revezando os locais do encontro entre os dois países.

Na área de comunicação, os dois países firmaram o compromisso de cooperar nos setores de televisão e rádio para a troca de informações entre os povos sul-americanos. O acordo prevê ainda uma posterior cooperação entre a Radiobrás e o Ministério da Educação e Cultura uruguaio, com prazo de validade de cinco anos.

O Brasil também vai transferir conhecimento para a instalação de uma agência uruguaia de cooperação internacional. Os outros acordos são: cooperação no cultivo de videiras e inovação tecnológica sobre o fatores que incidem na necrose das gemas da flor de pêra no Uruguai e criação de centros de ensino profissionais na região de fronteira entre os dois países, onde 700 mil pessoas vivem.

Em seu discurso, Lula disse que espera que os dois governos cooperem mais nos setores de segurança, judiciário, de saúde, educação, meio ambiente e saneamento na fronteira. ?Esse é apenas o princípio de uma cooperação estratégica entre nossos países, que se fará sempre no benefício direto de nossas sociedades?, disse o presidente brasileiro.