Os governos da União Europeia concordaram com uma revisão ampla da política econômica, afirmou hoje o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet. Ele afirmou, no entanto, que as mudanças não foram longe o suficiente. Os governos europeus chegaram a um acordo sobre seis peças da legislação, que miram uma melhora das políticas nacionais de orçamento, aperto das sanções para os países da zona do euro que não seguirem as regras orçamentárias da União Europeia e a criação de um sistema para prevenir desequilíbrios macroeconômicos que estão no centro dos atuais problemas da região.

O Parlamento europeu deve aprovar as propostas antes de elas serem transformadas em lei. Trichet, porém, disse que as mudanças não são suficientemente ambiciosas. “Nós continuamos a pensar que a melhora na governança para tirar lições da crise que nós tivemos que enfrentar”, afirmou.

Vários ministros disseram que as regras terão de ser revistas a fim de oferecer aos governos nacionais mais flexibilidade fiscal, uma vez que elas tenham ajudado a reduzir os níveis da dívida. “Em cerca de cinco anos, nós deveremos estar muito mais seguros e nós teremos de voltar a essa questão”, afirmou o ministro de Finanças da Polônia, Jan Rostowski.

Os ministros de Finanças da União Europeia – o chamado Ecofin – estão reunidos em Bruxelas desde ontem, para trabalhar em um pacote global de reformas econômicas que deverão culminar em um grande acordo no encontro de chefes de Estado e de governo no dia 25 de março. As informações são da Dow Jones.